O Fim dos filhos de Amaleque:

3 out
 
Não existe notícia na Bíblia de um povo que tenha sido mais aborrecido por Deus do que os Amalequitas. Foi o único povo a respeito do qual Deus falou estas palavras:
“Hei de riscar totalmente a memória de Amaleque de debaixo dos céus…Porquanto o Senhor jurou, haverá guerra do Senhor contra Amaleque de geração em geração.” (Ex 17.14, 16).
 
Muito mais tarde, quando Moisés estava lembrando ao povo os juízos de Deus, em Deuteronômio, não esqueceu Amaleque. Demonstrou, com isto, que Deus estava falando com toda a ênfase a respeito daquela nação iníqua, destinando-a à total destruição. Veja o que Ele disse a Moisés:
 
“Lembra-te do que fez Amaleque no caminho, como te derribou na retaguarda todos os fracos que iam após ti, estando tu cansado e afadigado. e não temeu a Deus. Será pois que, quando o Senhor teu Deus te tiver dado repouso de todos os teus inimigos em redor na terra que o senhor te dará por herança para possuí-la então apagarás a memória de Amaleque de debaixo dos céus: NÃO TE ESQUEÇAS! (Deuteronômio 25.17-19).
 
“Não te esqueças!” Que sério mandamento para o povo.
 
É incrível. Aquele povo terrível que Deus prometeu apagar sempre procurava destruir o povo de Deus, embora por este fosse destruído. Contudo, sempre ficava alguma raiz e estas raízesgeravam novos rebentos.
 
No livro de Juizes vamos encontrar novamente os Amalequitas, desta vez enfraquecidos pela primeira vitória de Israel contra eles. Estão aliados aos Midianitas e a outros povos para, mais fortes, conseguirem o seu grande objetivo: Destruir Israel.
 
“Porque sucedia que, semeando Israel, subiram os Midianitas e os Amalequitas. e também os do Oriente contra ele subiam. E punham-se contra eles em campo, destruíam a novidade da terra, até chegarem a Gaza. e não deixavam mantimento em Israel, nem ovelhas, nem bois, nem jumentos. Porque subiam com seus gados e tendas. Vinham como gafanhotos, em tanta multidão que não se podiam contar, nem a eles nem aos seu camelos. E entravam na terra, para destruir.
 
Assim Israel empobreceu muito pela presença dos midianitas.” (Juizes 6.3-6a).
 
Foi então que Deus levantou Gideão com seus trezentos homens, os quais venceram mais esta batalha do Senhor.
 
Quando vem o confronto definitivo, o maior de todos contra Amaleque, a ordem de Deus foi peremptória e sem margem a qualquer dúvida. Ele ordenou ao povo o seguinte:
 
“Vai pois agora e fere a Amaleque. e destroi totalmente tudo o que tiver, e não lhes perdoes. porém, matarás desde o homem à mulher, desdeos meninos até aos de mama, desde os bois até as ovelhas, e desde os camelos até aos jumentos”. (I Sm 15.3).
 
Isto não nos faz tremer? Poderia haver ordem mais terrível do que esta?E por que Deus fez isto? Existe uma explicação? Sim existe: Deus NÃO PERDOA AQUELE QUE TENTA FRUSTRAR SEU PLANOS! Leiamos a explicação:
 
“Assim diz o Senhor dos exércitos: Eu me recordei do que fez Amaleque a Israel, quando se lhe opôs no caminho, quando subia do Egito.” (I Sm 15.2).
 
Saul foi o rei escolhido por Deus para cumprir tão terrível e, ao mesmo tempo nobre missão. É talvez um mistério para nós que o Deus da misericórdia quando aplicou a sua justiça contra Amaleque mandou matar até as criancinhas e os animais, mas não é motivo de não aceitarmos a Sua soberania em tudo o que faz.
 
Como dissemos, Saul foiescolhido como o braço de Deus para tal missão e foi nesta missão que se evidenciou a sua rebeldia. Foi nesta missão que ele perdeu tudo o que tinha diante de Deus quando, semelhante a Acã, tomou os despojos que Deus proibira de tomar. (I Sm 15.1-35).
 
Saul trouxera o rei dos Amalequitas com ele, porque naquele tempo uma das evidências de poder era o rei vencedor ter reis inimigos comendo migalhas debaixo da sua mesa. Tratava-se portanto de uma pura vaidade de Saul. Vemos uma prova disto em um episódio bizarro nas Escrituras. Ei-lo:
 
“E subiu Judá e o Senhor lhe deu na sua mão os cananeus e os fereseus: e feriram deles em Bezeque a dez mil homens. e acharam ali Adôni-Bezeque em Bezeque e pelejaram contra ele: e feriram aos cananeus e aos fereseus.
 
Porém, Adôni-Bezeque fugiu: e o seguiram, e o prenderam, e lhe cortaram os dedos polegares das mãos e dos pés. (Os polegares eram símbolo de autoridade). Então disse Adôni-Bezeque: Setenta reis, com osdedos polegares das mãos e dos pés cortados, apanhavam as migalhas da minha mesa, assim como eu fiz, assim Deus me pagou.” (Juizes 1.4-7).
 
Por causa da desobediência de Saul foi que Deus se “arrependeu” de havê-lo constituído rei sobre Israel.
 
Bem, apesar dos exércitos de Saul terem quase destruído totalmente os amalequitas, sobraram muitos, provavelmente escondidos, ou viajando, ou por qualquer outro motivo que desconhecemos.
 
Vamos, pois, encontrar, mais tarde, os famigerados amalequitas novamente dando trabalho ao povo de Deuse levando cativas as mulheres de Davi, Ainoã, a jezreelita, e Abigail, a viúva de Nabal, o carmelita (I Sm 30.6).
 
Os amalequitas haviam queimado a cidade de Ziglaque, que era no Sul, o orgulho de Davi.
 
Mesmo sabendo que o interesse especial de Deus era apagar a memória de Amaleque de debaixo do céu, Davi era tão obediente que, antes de sair à peleja, mandou chamar o sacerdote Abiatar com a estola sacerdotal e consultou ao Senhor. A resposta veio prontamente:
 
“Persegue-o porque de fato o alcançarás, e tudo libertarás.” (I Sm 30.8).
 
O relato da batalha é digno de nota:
 
“E feriu-os Davi, desde o crepúsculo até a tarde do dia seguinte, e nenhum deles escapou, SENÃO SÓ QUATROCENTOS JOVENSque montados sobre camelos fugiram.” (I Sm 30.17).
 
Como vemos, ainda houve um grupo que escapou.
 
Quando Saul pelejou sua última batalha contra os filisteus na qual morreram ele, seus três filhos, Jônatas, Abinadabe e Malquisua, seu escudeiro e todos os seus homens (I Sm 31.6), veio um amalequita trazer a Davi a notícia da batalha e contar-lhe que havia matado Saul, a seu pedido, por estar o rei cheio de cãibras.” Davi não titubeou. Chamou um dos seus moços e mandou matar imediatamente o amalequita. (I Sm 1.1-16).
 
De onde vieram os Amalequitas?
 
A primeira referência que encontramos em relação a eles é em Gn 36.12:
 
“E Timna era concubina de Elifaz, filho de Esaú, e teve de Elifaz a Amaleque. estes são os filhos de Ada, mulher de Esaú.”
 
Vê-se, por esta referência, a origem daquele povo: netos daquele a quem Deus aborrecera: Esaú. Filhos de uma concubina.
 
Amaleque é citado nos cânticos proféticos de Balaão(Números 24.20). e de Débora e Baraque (Juizes 5.14).
 
Em um dos Sl de Asafe, o 83, Amaleque é citado entre 17 povos inimigos de Deus.
 
Agora perguntamos: sempre sobraram Amalequitas? Será que o mandamento e a vontade de Deus jamais foram cumpridos? Por acaso escaparam sempre aqueles horríveis inimigos de Deus?
 
Não!
 
No livro de I Crônicas vemos um relato breve de que a vontade de Deus foi cumprida, quase 200 anos depois do que Ele ordenara. Eis o desfecho da triste história do povo Amalequita:
“Também deles, dos filhos de Simeão, quinhentos homens foram às montanhas de Seir. E a Pelaias, e a Nearias, e a Refaias, e a Uziel, filhos de Isi, levaram por cabeças. E FERIRAM O RESTANTE DOS QUE ESCAPARAM DOS AMALEQUITAS.” (I Crônicas 4.42,43).
(Fonte: webartigos.com)
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: